quinta-feira, 21 de outubro de 2010

__ Para Tudo __ (por Mia Tyler)

Olá pessoal, tudo bem com vocês ? espero que sim, bom, estou postando aqui, um conto que a minha amiga Mia Tyler escreveu ! Espero que voces gostem !
Beijos a todoos !


________ Para Tudo _________

O Início - Tudo começou quando me tornei finalista de uma competição internacional de dança e tive que viajar para Los Angeles. Eu era uma das cinco finalistas a protagonizar um videoclipe com o Rei do pop, Michael Jackson. Era uma oportunidade e tanto; apesar de que MJ já havia tido maiores tempos de glória. Michael queria renascer, fazer novas tours e lançar novos discos.

Todos os dias, eu e as meninas (Brittany, Demetria, Lana e Kizzy) tínhamos que preencher uma espécie de formulário, descrevendo as atividades que havíamos realizado. Depois de quase um mês naquele hotel, fomos nos hospedar NA CASA do Rei do Pop. Ficamos por dias vagando por aquela mansão enooorme à procura do Michael, mas não tínhamos dado a sorte de vê-lo. Depois de um tempo, recebemos a notícia de que seríamos "entrevistadas", e que aquilo seria a etapa final final final para saber quem seria A ESCOLHIDA. Já que eu era a última, perguntei rapidamente as meninas como foi ver o Michael, já que era ele quem conduzia tudo. Fiquei com bastaaante medo, a minha hora havia chegado.

A Entevista - Cheguei. Entrei na sala e ele me esperava. Simplesmente quase desmaiei. Ele me cumprimentou, suuper formalmente, com um aperto de mão (e, que aperto, tesão em nível moderadamente alto!). Michael, lindo, maravilhoso, perfeito e tudo mais. Admito que a entrevista não foi nada, nada do que eu imaginei que seria. As palavras dança, trabalho, e coisas do tipo simplesmente não entraram na conversa. Michael me fez várias perguntas pessoais, nada do que eu julgasse necessário para ser A ESCOLHIDA. Aí acabou. Apertou novamente a minha mão, beijou-me no rosto e saímos da sala. Ele disse que tinha que ir. E foi. PARA TUDO! Foi só aó que eu burra, anta, percebi que tinha um papelzinho dobrado na minha mão!

O Kurt - "Encontre o Kurt às 18 horas. Michael." AAAFFE! Que porra é essa? Quem é Kurt, e como vou encontrá-lo?
"-Alô. Sim, estou bem. Não, não preciso de nada, só que me informe quem e Kurt e como posso encontrá-lo. Ok, obrigada."
Isso é que é empregada prestativa. Bem, são 16:30. Tenho uma hora para me arrumar e encontrá-lo. É.. essa roupa tá beem mais ou menos! Mas vai ter que ser essa mesmo, senão me atrasarei demais. Me arrumei e às 17:40 a empregada me diz que Kurt (ah, ele é o motorista) está lá embaixo.
"-Ok. Vamos, então."
Até que Kurt é um rapaz bonito, rsrs.. Enfim, chegamos. São exatamente 18:00. Estou à frente de uma casinha com a porta semi aberta (ou seria semi-aberta? tenso :S)
"- Senhorita, o sr. Michael está à sua espera lá dentro."
"- Está bem. Você vem comigo, Kurt?"
"- Não, senhorita."
Ele abre um lindo sorriso e faz um gesto com os braços, indicando que devo entrar. Admito que estou com um pouco de medo, por não saber o que me espera. --__--

O Lugar - Nossa.. é lindo demais esse lugar! Mas acho que não há ninguém a
"- Mía?"
Me viro e aqui está ele; vestido como um príncipe. Simplesmente perfeito. Esse homem emite uma luz que quanto mais me cega, mais me faz querer contemplá-lo.
"- Você demorou. Estava contando os minutos; pensei que não viria mais."
"- Me desculpe, sr. Michael."
NOOOSSSA! Perfeccionismo é foda, hein! Três minutos fazem tanta diferença assim? Ele se aproxima e
"- Papai, papai, É ELA?"
PARA TUDO!
"- Eu o q-
"- Sim, anjos. É ela sim. Cumprimentem-na, crianças."
Os dois meninos me beijam no rosto e ficam me olhando, curiosos e visivelmente encantados. Paris me abraça e diz bem baixinho:
"- Que bom que você chegou ;)"
"- Porque diz isso?"
"- Anjos, deixem-na comigo."
"- Você já contou à ela, papai?"
"- Não. Mas contarei. Acalmem-se. Podem ir brincar agora."
As crianças se afastam sorrindo, aparentemente satisfeitas.
"- Do que elas estavam falando, sr. Michael?"
"- Não importa isso agora. E por favor, me chame apenas de Michael. Somos amigos agora."
"- Está bem, Michael."
"- Agora mudemos de assunto. Se você não fizesse o que faz, que é dançar, com que instrumentos gostaria de trabalhar?"
"- Com câmeras."
O sorriso tão constante em seu rosto se desfizera.
"- Mas por que com câmeras?"
"- Porque sinto uma enorme sintonia com elas."
"- Não se iluda."
"- Do que está falando?"
"- Não tem medo de estragar sua vida?"
"- Seria mais fácil que eu estragasse a vida de quem estivesse à frente delas, não acha?"
"- É o que pretende fazer?"
"- Em nenhum momento eu disse que iria fazer isso."
"- Como assim?"
"- Só porque a tinta está disponível, não significa que a casa deva ser pintada. Só porque quero fotografar pessoas, não significa que eu queira usar as fotografias que farei para o mal. Entendes?"
"- Acho que sim. Agora mudemos de assunto outra vez."
"- Está bem."
"- Quero que você dance para mim. Você pode?"
PARA TUDO! Como assim, "dançar para mim"?
"- Mía, ouviu o que disse? Perguntei se você pode dançar para mim."
Continuo em estado cristalizado. Quero falar, mas meus lábios nem ao menos se mexem!
"- Entendo perfeitamentese não quiser."
"- Eu.. eu quero."
"- Ótimo! Eu a verei dançar até que esteja pronta, e me juntarei a você."
PARA TUDO! Como assim, "e me juntarei a você"? Acho que vou surtar!
"- E então.. Topa?"
"- Topo, mas-
"- Não quer que eu pare tudo agora, não é mesmo?"
"- Não."
"- Perfeito. Comecemos então."

O Momento - Aquela melodia começou, contagiando todo aquele lugar. Nós dançamos; dançamos por horas e mais horas ainda. Ele finalmente põe uma música mais lente, e diminuímos o ritmo. A música termina, mas ele pede para não parar de dançar. E continuamos dançando.. Até que, quando me dei conta, estávamos caídos, um por cima do outro, no chão! Eu não pude fazer outra coisa a não ser fitá-lo; e mais tarde, quando dei por mim, já estávamos nos beijando.

Não dá pra parar agora - Eu resolvo me afastar, mas ele me traz novamente ao seu encontro e diz:
"- Não precisa parar se não quiser. Odeio deixar as coisas pela metade.."
E continuamos. O resto foi o óbvio do óbvio. Amanheceu e ainda estávamos ali. Resolvemos ir embora. Fomos. Ele para na frente do meu quarto e me beija novamente.
"- Acho melhor a senhorita dormir. Ainda hoje será um dia cheio."
Mas aí parei pra pensar: Eu dormia no quarto com as outras meninas. O que elas pensariam ao me ver chegar?
"- Michael, o que eu direi se as meninas me perguntarem onde eu estava ou o que estava fazendo?"
"- Tem razão. Vamos para o meu quarto."
PARA TUDO! Pro quarto dele? Ai-meu-Deus! Calma, Mía.. Fica bem calminha!
"- Bem-vinda (ou bem vinda mesmo?) ao meu universo, senhorita Mía.
"- Ah, obrigada.."
É um típico quarto de realeza.
"- O que acha de tomarmos um banho juntos e depois irmos dormir?"
PARA TUDO!
"- Juntos?"
"- É, foi o que eu disse. Alguma objeção?"
"- Não. NENHUMA."
"- Então.. o que estamos esperando?"
Fomos para o banheiro. Ele liga o chuveiro e me puxa ao seu encontro, sem ao menos me dar tempo de pensar. Ainda estávamos vestidos.
"- Michael.."
Ele tira a roupa.
"- Sim."
"- Vai me contar o porquê de tudo isso?"
Ele começa a tirar a minha roupa.
"- Sim. Mas antes quero que prometa aceitar, entender e não me questionar."
Me beija com mais delicadeza.
"- Promete?"
"- Prometo."
"- 'Tudo isso', senhorita, é porque eu quero você. Te quero. Como minha amiga, minha bailarina, meu anjo, minha amante, minha esposa, minha ESCOLHIDA. Eu escolhi você. Independente de que estragos essa escolha possa ou não causar na minha vida."
Ele comprime seu corpo sobre o meu e começa a executar aquele conhecido movimento..
"- Não vai querer que eu pare agora, não é mesmo?"

O Que Passou Por Aqui !

Saraiva