segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Michael Jackson temia ser assassinado em palco


Michael Jackson estaria tão convencido que o tentariam matar no seu regresso aos palcos que estava a considerar utilizar um colete à prova de bala durante as suas actuações na 02 Arena. A revelação foi feita por Matt Fiddes, ex-guarda-costas do músico.

Fiddes revelou que Jackson usou um colete anti-bala quando foi julgado por violação de menores em 2005 e estava certo que haveria uma tentativa de lhe tirar a vida em palco: “Michael disse-me, ‘tenho medo de não conseguir fazer estes concertos ou de ser assassinado em palco. Por favor certifica-te que os meus filhos estão bem. Ele disse-me que durante o seu julgamento de quatro meses teve que usar um colete anti-balas todos os dias. Ele disse que ia ter que usar um durante os concertos e não tinha a certeza de como ia conseguir fazê-los, por causa das preocupações que tinha”.

Jackson estaria ainda convencido que seria assassinado durante a conferência de imprensa que deu para lançar os concertos e Fiddes revelou que o músico bebeu meia garrafa de whisky para acalmar os nervos: “O Michael meteu na cabeça que alguém ia atirar sobre ele, por isso bebeu meia garrafa de whisky para se acalmar. Foi a sua primeira aparição pública em anos e ele achava que ia ser morto por causa de todos os problemas que teve no passado com a imprensa”.

Conrad Murray, médico de Jackson na altura da sua morte, está a ser julgado por homicídio involuntário e enfrenta quatro anos de prisão se for condenado.

O Que Passou Por Aqui !

Saraiva