sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Pedido de pena máxima para médico de Michael


Promotores envolvidos no caso do médico Conrad Murray, condenado por responsabilidade na morte de Michael Jackson, pediram à Justiça do estado americano da Califórnia que o cardiologista pegue a pena máxima prevista — 4 anos de prisão.

O pedido foi feito na terça-feira, numa audiência com o juiz Michael Pastor, que sentenciou Murray. Os promotores David Walgren e Deborah Brazil justificaram o pedido citando entrevistas do médico, divulgadas depois do julgamento, nas quais o cardiologista afirma que não se sente culpado pela morte do ‘Rei do Pop’. “O acusado culpa constantemente a vítima por sua própria morte”, argumentaram os promotores.

As entrevistas citadas pelos promotores, em vídeo, foram enviadas em DVD para o juiz. Já os advogados de Murray afirmaram que a morte de Michael foi uma tragédia e pediram que o médico seja sentenciado apenas à liberdade condicional.

Depois de quase cinco semanas de julgamento, o júri entendeu que Murray foi negligente quando Michael tomou a dose do forte anestésico Propofol, que acabou o matando, em combinação com outros medicamentos. Murray foi condenado por homicídio involuntário.

O médico está detido numa cadeia nos arredores de Los Angeles desde o dia 7, aguardando a sentença, que deve sair até o fim do mês. Ele é mantido numa cela isolada dos outros presos e tem vigilância constante dos agentes penitenciários, para evitar tentativas de suicídio.

O Que Passou Por Aqui !

Saraiva