sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Ex de Michael Jackson ameaça Conrad Murray de morte, afirma site

Debbie Rowe em foto de abril de 2005 (Foto: AP/Aaron Lambert)

Debbie Rowe, ex-mulher e mãe dos dois filhos mais velhos de Michael Jackson, declarou ao site TMZ, nesta segunda-feira (25), que está "indignada" com a entrevista de Conrad Murray ao tabloide britânico "Daily Mail".

Ao jornal, Murray afirmou que ele e Michael costumavam brincar que nenhum dos dois gostaria de fazer sexo com ela. Rowe ameaçou o médico de morte, dizendo ao site que acredita que em menos de 18 meses "um fã de Jackson vai matá-lo, e eu terei comprado a bala. Eu não o mataria, mas compraria a bala... uma de ponta oca". Esta bala é considerada altamente letal uma vez que a munição se estilhaça assim que entra no corpo, atingindo vários órgãos.

Rowe, que cria cavalos em seu rancho, disse: "Pelo menos eu posso produzir. Ele não consegue nem escrever prescrições mais", além de outros xingamentos ao médico.

Segundo o TMZ, ela também ficou furiosa que Murray está alegando que Michael Jackson tirou a própria vida ao injetar uma dose fatal de Propofol, enquanto o médico estava fora do quarto. "É tão nojento que ele está destruindo os mortos. O júri certamente não comprou sua história”, declarou Rowe.

UHUUUU TAMO JUNTO DEBBIE hahaha \o/

Médico conta que punha camisinha e cateter genital em Jackson, diz jornal


O tabloide britânico "Daily Mail" publicou uma entrevista com Conrad Murray, médico que cuidou de Michael Jackson antes da morte do cantor. Na reportagem divulgada no domingo (24), Murray se defende das acusações de ter sido negligente com o cantor. Ele descreveu com detalhes os cuidados que tinha com Michael Jackson, segundo o jornal.

Conrad Murray foi condenado por homicídio culposo (involuntário) na morte do cantor Michael Jackson em 2009. Ele foi libertado da prisão em outubro de 2013, após cumprir dois anos da sentença, de quatro anos de detenção.

"Quer saber como eu era próximo dele?", perguntou Murray, segundo a reportagem, antes de dizer que tocava o órgão genital de Michael Jackson todas as noites para ligar um cateter, devido à incontinência urinária. "Ele usava calças escuras, pois depois de ir ao banheiro, ficava respingando por horas".

Murray também diz na entrevista, segundo o "Daily Mail": "Michael não sabia como colocar uma camisinha, então eu tinha que fazer isso para ele". A camisinha colocada por Murray era parte de um equipamento médico usado para incontinência urinária. Ela era ligada ao cateter, tubo que leva a urina a um recipiente. Murray diz que era uma das únicas pessoas em que o cantor confiava no fim da vida, e que fez tudo para salvá-lo. "Eu não matei Michael Jackson. Ele era um viciado em drogas. Foi Michael Jackson quem matou acidentalmente Michael Jackson", disse Murray, de acordo com o jornal.

AAAAAAAAH MEU DEUS VIU !

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Filha de Michael Jackson, Paris pode ficar em internato por anos


Após uma suposta tentativa de suicídio, em junho deste ano, a filha de Michael Jackson, Paris, está vivendo em uma internato em Utah, nos Estados Unidos. Em agosto, imagens de Paris Jackson na nova escola- ela pretendia passar despercebida no internato e se matriculou usando um pseudônimo - vazaram na imprensa e a mãe da menina ameaçou processar as pessoas que venderam tais fotos.

Desta vez foram informações sobre o desempenho de Paris na escola que vieram a público. De acordo com o site 'TMZ' a filha do astro pop vem melhorando aos poucos, porém ainda tem muitos problemas a serem resolvidos e deve ficar interna por lá durante um bom tempo, talvez anos.

O site ainda conta que a menina participou de uma sessão de terapia familiar com sua mãe Debbie Rowe e a avó Katherine Jackson, na manhã desta terça, dia 26. Paris deve passar alguns dias com a família em janeiro e para isso Katherine já está refazendo seu quarto para recebê-la. Porém, Depois das férias a menina deve voltar direto para o internato.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Ícones do metal se reúnem em tributo a Michael Jackson; vem ouvir


O cantor, dançarino, artista e mito Michael Jackson ganhou um tributo de algumas estrelas do heavy metal. Intitulado “Thriller – A Metal Tribute To Michael Jackson”, o disco reúne integrantes de bandas como Iron Maiden, Guns N’ Roses, Whitesnake, Motörhead e Testament.

No tributo, os camisas pretas oferecem releituras para clássicos como “Smooh Criminal”, “Beat It”, “Black or White”, entre outras. Lançado pela Cleopatra Records, o álbum já está disponível para compra no iTunes e nas melhores lojas do ramo.

Ouça as músicas abaixo:

1. Thriller – Chuck Billy (Testament)


2. Man In The Mirror – Danny Worsnop (Asking Alexandria) & Billy Sheehan (Mr. Big)


3. The Way You Make Me Feel – Angelo Moore (Fishbone), Doug Aldrich (Whitesnake), & Rudy Sarzo (Queensryche)


4. Black Or White – Lajon Witherspoon (Sevendust), Bruce Kulick (ex-Kiss), & Tony Franklin (The Firm)


5. Beat It – Priya Panda (Diemonds) & Ron Bumblefoot Thal (Guns N’ Roses)


6. Billy Jean – Corey Glover (Living Colour) & Phil Campbell (Motörhead)


7. Shake Your Body (Down To The Ground) – Elias Soriano (Non Point)



8. Rock With You – Doug Pinnick (Kings’X)

9. Dirty Diana – Chris Jericho (Fozzy)

10. Bad – Paul Di’Anno (ex-Iron maiden) & Craig Goldy (Dio)

11. They Don’t Care About Us – Icaus Witch

12. Never Can Say Goodbye – Lonnie Jordan (War)

13. Smooth Criminal – Alien Ant Farm

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Suzano tem exposição de arte coletiva 'Tributo a Michael Jackson'

Exposição é composta por  35 obras (Foto: Fernado Araujo/ SECOI)

Uma exposição de arte coletiva reúne várias obras relacionadas ao ídolo do pop Michael Jackson em Suzano. A mostra tem 35 obras, incluindo esculturas e poesias de artistas da cidade.

A exposição ganhou o nome de ''Tributo a Michael Jackson'' e até o dia 22 de dezembro fica na Faculdade Piaget, de segunda a sexta-feira das 8h às 21h.

A ideia começou com o artista plástico Mário Freire há dois anos com pinturas a lápis de cor. Outros artistas decidiram participar da iniciativa.

A mostra já esteve também no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi, em Suzano, e na cidade de Guararema.

Tributo a Michael Jackson
Quando: até dia 22 de dezembro
Horário: das 8h às 21h
Onde: Faculdade Piaget
Endereço: Avenida Mogi das Cruzes, 1.001, Jardim dos Ipês

FBI investiga ameaças a C. Murray, ex-médico de Michael Jackson, diz site


Conrad Murray, médico pessoal de Michael Jackson que foi condenado por homicídio pela morte do cantor, foi solto em 28 de outubro, mas ainda não encontrou sossego. Segundo o site TMZ, a advogada de Murray, Valerie Wass, tem sofrido ameaças desde que ele saiu da prisão de Los Angeles. O FBI está investigando o caso.

De acordo com a publicação, as ameaças incluem frases como "um golpe na cabeça é tudo que você precisa" e "se você acha que os fãs de Michael Jackson são insignificantes, você está mortalmente errado".

Para o TMZ, os fãs estão direcionando as ameaças para a advogada por duas razões: porque eles não sabem como chegar até Murray e também devido a um vídeo do dia em que o médico foi liberado. Nas imagens, Wass confronta uma pessoa que grita e chama Murray de assassino. “Se você não fosse tão ignorante, saberia que ele não foi condenado por assassinato”, disse a advogada ao fã na ocasião.

Família de Michael Jackson diz que Murray vai "matar novamente"

Conrad Murray foi solto esta semana Foto: Getty Images

Conrad Murray, médico condenado a quatro anos de prisão pela morte de Michael Jackson, foi solto na última semana, após cumprir metade da pena. A família do rei do pop está preocupada com a possibilidade dele conseguir reaver a licença para voltar a trabalhar.

De acordo com o TMZ, a família de Michael está se sentindo ofendida por Murray ter entrado com um pedido para ter direito de exercer a medicina, porque afirma que ele vai "matar alguém novamente".

Durante os 20 anos que Conrad Murray tem como médico, seu único caso que deu errado foi justamente o de Michael Jackson, que morreu no dia 25 de junho de 2009.

O médico foi condenado por homicídio culposo por administrar uma dose letal do anestésico propofol no cantor.

O Que Passou Por Aqui !

Saraiva