terça-feira, 4 de outubro de 2011

Reaparece farmacêutico que vendeu Propofol a médico de Michael Jackson


O farmacêutico Tim Lopez que vendeu grandes quantidades do anestésico Propofol para Conrad Murray foi a quinta testemunha a ser chamada no julgamento do médico, nesta terça-feira, 4. Murray é acusado pelo homicídio culposo - quando não há intenção de matar - de Michael Jackson.

Lopez admitiu em janeiro para os promotores do caso a venda da droga para Murray. Depois disso, não foi mais localizado porque teria viajado para a Tailândia.

Em seu depoimento nesta terça, Lopez contou que conheceu Murray em 2008, depois de o médico ter comprado mais de 40 tubos de um remédio para clarear a pele. Segundo o farmacêutico, o médico de MJ disse que era para tratar pacientes seus, afroamericanos, que sofriam de vitiligo.

Em abril de 2009, Murray perguntou a Lopez se ele entregava Propofol e quanto custaria. Nesse mesmo mês, ele fez a sua primeira encomenda: 35 frascos, dez de 100 ml e outras 25 unidades de 20 ml.

Ele afirmou que Murray ficou com alguns frascos e pediu que o restante fosse entregue em um endereço em Santa Monica, provavelmente o do apartamento em que morava com Nicole Lopez, ex-namorada do médico de MJ, também ouvida nesta terça no tribunal. Ainda em abril, Murray encomendou mais 65 frascos.

O julgamento do médico Conrad Murray começou na última terça, dia 27, em um tribunal em Los Angeles.

O Que Passou Por Aqui !

Saraiva